Revista Espaço Con(tacto)

Objectivos Gerais

A Espaço Con(Tacto) assenta em dois objectivos gerais:
•    Possibilitar a uma maior diversidade de pessoas, fácil acesso a um vasto leque de informações actualizadas e de âmbitos diversificados, através de uma abordagem editorial inovadora, atractiva e democrática. É por este motivo que se fez uma aposta na edição Braille e no formato áudio, além da edição na tradicional linguagem Negro onde se dá grande destaque à fotografia e à ilustração como formas de comunicação.
•    Reforçar a auto-estima e o auto-conceito dos alunos do Espaço t estimulando as suas capacidades criativas e proporcionando-lhes partilhar conhecimentos e experiências com profissionais reconhecidos nas mais diversas áreas de acção.

Metodologia

Os conteúdos da Espaço Con(Tacto) respeitam sempre a temáticas que estimulem a curiosidade, a reflexão e a sensibilidade de quem a concebe e dos seus leitores. O tema é explorado pelos alunos dos ateliês de jornalismo, fotografia e pintura do Espaço t conjuntamente com os formadores e personalidades convidadas (escritores, pintores, psicólogos, sociólogos, jornalistas, entre outros). Este trabalho conjunto pretende incentivar o relacionamento entre todos aqueles cujos percursos de vida estão distanciados e que assim podem partilhar um objectivo comum, utilizando a arte como linguagem unificadora.

Breve Contextualização

A Espaço Con(Tacto) foi editada pela primeira vez em Março de 1998, época em que as actividades desenvolvidas nos ateliês do Espaço t começavam a revelar resultados bastante positivos, quer ao nível da criatividade, quer pela motivação conquistada pelos alunos; o que contribuía sobejamente para o desenvolvimento positivo da sua auto-estima e para uma consequente valorização como pessoas e seres humanos. Faltava no entanto um projecto que retirasse estas pessoas e o seu trabalho do anonimato das salas e dos arquivos do Espaço t, algo sustentado que permitisse expor perante a comunidade as capacidades e a afirmação de grupos tradicionalmente ignorados – considerados inábeis e até mesmo incapazes – sendo-lhes retirado o direito a uma participação livre na vida da comunidade à qual pertencem.
Surgiu então a ideia de uma publicação que reflectisse na comunidade um pouco daquilo que é e o que pretende o Espaço t: os objectivos, as expectativas e os resultados conseguidos – o reconhecimento sem distinção das capacidades da população desta associação, a afirmação da criatividade como linguagem privilegiada de comunicação e de reabilitação.
No dia 18 de Março, foi editado o primeiro número da Revista Con(tacto), desde então foram publicadas 14 revistas com periodicidade semestral e distribuídas em todo o território nacional.
A Espaço Con(Tacto) é desde a sua criação concebida no interior do Espaço t com os recursos possíveis no contexto de uma associação de solidariedade social. Conta com a colaboração de profissionais de diferentes áreas que voluntariamente, e muitas vezes com poucos recursos, fazem desta revista um meio de comunicação, com qualidade, para todos sem excepção. E é no fundo isto que pretende o Espaço t, uma publicação que respeite as diferenças e com isso possa trazer alguma coisa de significativo, que sensibilize e seja enriquecedora, atendendo a um universo cada vez mais diversificado de indivíduos. É nesse sentido que a Espaço Con(tacto) é editada em Braille e em formato áudio, possibilitando a uma maior diversidade de pessoas, fácil acesso a um vasto leque de informações actualizadas e de âmbitos diversificados.
Os conteúdos da Espaço Con(Tacto) respeitam sempre a temáticas que estimulem a curiosidade, a reflexão e a sensibilidade de quem a concebe e dos seus leitores. O tema é posteriormente explorado pelos alunos dos Espaço t conjuntamente com os formadores e personalidades convidadas. Este trabalho conjunto pretende incentivar o relacionamento entre todos aqueles cujos percursos de vida estão distanciados e que assim podem partilhar um objectivo comum, utilizando a arte como linguagem unificadora.
A Espaço Con(tacto) não é um produto de um dia, de um ano, de uma vez. É, e com certeza continuará a ser, uma actividade inacabada com imperfeições e muitos aspectos a melhorar e a explorar, mas, sobretudo, conta com o empenho de pessoas que dedicam um pouco que seja das suas vidas a um projecto de dignificação do ser humano e sua diversidade. Porque todos os dias alguém procura o Espaço t porque não se consegue fazer sentir; e há tantas coisas a dizer a tanta gente que quer ouvir para aprender, e então fruir da liberdade no seu direito à diferença.